– root@injetionsec:~#

Elementos da Rede Profibus

05.11.2013 (1:44 pm) – Filed under: Profibus,Rede Industrial ::

1- Masters : são elementos responsaveis pelo controle do barramento com duas classes:

  • Classe 1: Responsável pela operação ciclica (leitura/escrita) e controle das malhas abertas e fechadas do sistema
  • Classe 2: Responsável pelos acessos aciclicos dos parâmetros e funções dos equipamentos PA

2 – Couplers : Dispositivos utilizados para traduzir as caracteristicas fisicas entre o Profibus DP/PA

  • São transparentes para master,não possuem endereço físico no barramento
  • Podem ser alimentas com 24 VDC dependendo do fabricante e da área  de classificação

3 – Link device : São dispositivos utilizados como slave da rede profibus dp e master na profibus pa

  • possui endereço físico no barramento
  • permite que sejam aclopados ate 5 couplers,mas limitam o numero máximo de equipamentos  em 30 por barramento

4 – Terminador: consiste em um capacitor de 1μF e um resistor de 100 ohm conectado em serie entre o barramento paralelo

  • o sinal de comunicação e transmitido como corrente mas recebido como tensão, o terminador faz essa conversão
  • proteção contra reflexão do sinal de comunicação devendo ser  colocado nas duas terminações do barramento um no final e outro  geralmente couplers.

 5 – Cablagem : recomenda-se utilizar cabo do tipo par trançado 1×2, 2×2 , 1×4 com shield.   Abaixo uma arquitetura Profibus

 

Abaixo uma arquitetura Profibus

7623t

 

Valeu galera =)

Rede Profibus

05.11.2013 (1:14 pm) – Filed under: Profibus,Rede Industrial ::

É uma rede industrial que tem sido refinada com experiência do usuario final e é  mais desenvolvida e consolidade solução de redes industriais, a caracteristica dela e o reconhecimento de controle sendo em sistemas centralizados,dando agora passagems a topologias distribuídas e descentralizadas,pertence a um grupo de protocolos que compartilham  um conceito “fieldbus”, onde as informações não estão apenas armazenadas num unico processo  mas distribuidas no chão de fabrica ate os niveis superiores de gerencia.

  • Profibus DP: foi a primeira versão criada, indicada para chão de fabrica onde o volume de informações e grande com necessidades de alta velocidade de comunicação
  • Profibus FMS: e uma evolução do profibus dp é destinada a comunicação de PLCs podendo suportar grande volume de dados ate o nivel gerencial,mesmo não sendo uma pratica boa.
  • Profibus PA: mais moderna do que as outras, com caracteristicas de que os dados podem trafegar pela mesma linha fisica da alimentação, o que economiza tempo de instalação e cabos, com performasse semelhante a DP.

O PROFIBUS foi desenvolvido na universidade de Karlsruhe com o fim de atender o mercado de controle de processos, como o próprio nome reflete: PROcess FIeld BUS. A organização PROFIBUS ajudou muito seu desenvolvimento e aceitação no mercado. O protocolo PROFIBUS baseia-se em uma relação  Mestre/Escravo , com capacidade multi mestre via “token”. Isso permite o uso do padrão físico RS-485 até a velocidade de 12Mbauds. O número máximo de nós da rede no caso PROFIBUS está limitado a 127 no total e a 32 em cada segmento. A limitação de 32 está relacionada ao padrão RS-485 e o número 127 ao endereçamento lógico do protocolo. A interligação dos segmentos que perfazem o número de 127 nós pode ser feita por repetidores no padrão elétrico ou ótico. Não há limite prático para o número de segmentos óticos.

O protocolo PROFIBUS tem um conceito  que , usa o modelo Mestre / Escravo, mas com a possibilidade de mais de um mestre na mesma rede, que se alternam no controle da rede através de um ” token”. Como o limite de velocidade é 24 vezes maior e o tamanho máximo do pacote muito maior que no DeviceNet, a eficiência de comunicação acaba sendo maior, pelo menos quando se considera sistemas de porte médio e grande.

 

  • MODELO OSI DA PROFIBUS

Captura_de_tela-5

Fico por aqui galera 🙂